Uma fraude chamada Eu Te Amo | Palavras

Fico sempre na dúvida quando escuto um Eu Te Amo. É pra mim? Ou é a necessidade do outro de usufruir da palavra amor?

Ele acordava e já me amava. Por todos os meios chegavam corações, musiquinhas de Caetano, beijinhos de amor e claro, o famigerado Eu Te Amo, com seus derivados, que ele usava muito, Amo vc, sinto sua falta…

E eu, devolvia Marisa Monte, Fernando Pessoa, Julio Cortázar, olhinhos de coração, e claro, o famigerado Eu Te Amo.

Eis que um dia a vida se faz real e me descubro desvendando, um tanto tarde, o mais inepto de todos os segredos do amor: Eu Te Amo não diz nada! É uma frase, como qualquer outra!

Posso lhe dizer; hoje acordei com sono ou posso lhe dizer; a gasolina aumentou, ou posso lhe dizer; Eu Te Amo… são só palavras.

Eu Te Amo existe em todas as línguas, qualquer ser humano que habita a Terra pode dizer Eu Te Amo, mas poucos podem Amar.

Amar é delicadeza pra poucos. É sutileza na percepção do outro…

Amar é além de nós… amar é o outro…
Amar é o outro…

Amar é respeitar a natureza e a história do outro, mesmo em meio ao caos quando se instala dentro de nós… por questões que não sabemos lidar…

Amar não é Eu Te Amo. Amar é o outro…

E quando o outro pode ser qualquer um que esteja ao alcance, não é amor, não é Eu Te Amo, é simplesmente: Eu Me Amo… Eu Me Amo e necessito usufruir de toda essa semiótica do amor para existir, logo cuspo Eu Te Amo Eu Te Amo Eu Te Amo… quando na verdade a incapacidade de amar é o que impulsiona esse festival de mentiras revestidas de ego e imensamente ajudadas pelas novas tecnologias virtuais…

Hoje, nesses tempos líquidos o Eu Te Amo é uma mentira covarde, uma fraude que está bem acomodada nos teclados dos celulares, esperando um deslize pra pular! E viva a fibra óptica! E que sobrevivam os que ainda amam com beijos nos olhos, na alma, na carne! Os que ainda são capazes de enxergar o outro mesmo em meio ao caos dos amores líquidos que nos rodeiam, nos transformando em ilhas de matéria radioativa nesse mar de mentiras cibernéticas! Louvado seja o amor e não esse louvor barato ao amor! Amém!

Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *